J. Correia Lopes

FEUP/DEI & INESC TEC

User Tools

Site Tools


teach:lapd:201314:ficha

Ficha de Unidade Curricular

Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação
Linguagens de Anotação e Processamento de Documentos
Ocorrência: 2013/2014


Página oficial

Informação geral

Curso: Linguagens de Anotação e Processamento de Documentos
Código: EIC0107
Curso: MIEIC, 4º
Ano letivo: 2013/2014
Semestre: 2S
ECTS: 6
Horas/Semanas: 3 TP
Professores: João Correia Lopes | Cristina Ribeiro

Língua de trabalho

Português. Suitable for English-speaking students

Objetivos

ENQUADRAMENTO

A unidade curricular "Linguagens de Anotação e Processamento de Documentos" tem como contexto o uso generalizado de linguagens de anotação para a representação de informação semi-estruturada e a existência de ferramentas normalizadas para o seu tratamento.

OBJETIVOS

Esta unidade curricular foca-se na obtenção de linguagens de anotação para um dado domínio e na realização de aplicações baseadas em linguagens de anotação e tem por objetivos:

  1. Sensibilizar os estudantes para as múltiplas aplicações não triviais das linguagens de anotação;
  2. Familiarizar os estudantes com as tecnologias de processamento e armazenamento de informação semi-estruturada;
  3. Aplicar as tecnologias de anotação na definição de uma linguagem e na resolução de um problema com recurso ao desenvolvimento de uma aplicação.

Resultados de aprendizagem e competências

No final desta unidade curricular o estudante deverá ser capaz de:

  • Identificar os usos das linguagens de anotação em documentos, em repositórios de dados e no suporte a aplicações;
  • Criar modelos para documentos XML;
  • Distinguir as linguagens normalizadas para domínios de aplicação e os usos ad-hoc da anotação;
  • Desenhar uma linguagem de anotação para servir de base a um tipo de documentos ou aos dados de uma aplicação;
  • Interpretar os resultados do processamento de documentos com as tecnologias baseadas em XML;
  • Avaliar comparativamente soluções baseadas em XML e outras para suporte à troca de informação entre aplicações;
  • Desenhar folhas de estilo XSL para transformar documentos;
  • Usar uma base de dados com armazenamento nativo de XML e tirar partido das suas funções de interrogação;
  • Comparar a organização de dados em modelo de anotação com o modelo relacional e traduzir dados entre modelos;
  • Produzir um modelo de anotação para dados de um domínio de aplicação, armazenar um conjunto de dados e interrogá-los;
  • Comparar as linguagens de anotação e outras representações de documentos e de dados do ponto de vista da preservação ao longo das mudanças tecnológicas;
  • Desenvolver um protótipo de aplicação baseada em XML envolvendo o uso de um dialeto e processamento de documentos.

Modo de trabalho

Presencial

Pré-requisitos

Os estudantes devem ter competências básicas em linguagens e tecnologias de anotação.

Programa

  • Desenho de linguagens de anotação. Análise de linguagens existentes em vários domínios.
  • Interrogação de documentos XML. A linguagem XPath. A linguagem XQuery.
  • Transformações de documentos XML com XSLT. Apresentação de documentos XML com XSL-FO.
  • Processamento de XML em aplicações. As interfaces DOM e SAX.
  • Armazenamento de XML: bases de dados XML nativas; armazenamento de XML em bases de dados objeto-relacional.

Bibliografia principal

  • Anders Møller, Michael I. Schwartzbach; An Introduction to XML and Web Technologies, Addison Wesley Professional, 2006. ISBN: 0321269667 Biblioteca

Bibliografia complementar

  • Neil Bradley, The XML Companion, Addison-Wesley, 3rd Edition, 2002, ISBN: 0-201-77059-8. Biblioteca
  • José Carlos Ramalho, Pedro Henriques; XML e XSL — da Teoria à Prática, FCA Editora, 2002, ISBN: 972-722-347-8. Biblioteca
  • Elliotte Rusty Harold, W. Scott Means, XML in a Nutshell, O'Reilly, Third Edition, 2004, ISBN: 0-596-00292-0. Biblioteca

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

Os tempos letivos são usadas para exposição de matéria teórica, com referência à bibliografia relevante, e desenvolvimento de exemplos relacionados. Nas sessões práticas os tópicos de investigação propostos são discutidos com os estudantes e o trabalho prático é reportado.

Software de apoio

  • oXygen
  • XML Spy
  • eXist

Palavras-chave

Ciências Físicas > Ciência de computadores > Informática

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída sem exame final.

Componentes de avaliação e ocupação

O trabalho prático decompõe-se em três componentes com entrega de um pequeno artigo científico e uma apresentação a realizar ao longo do semestre.

Componentes de avaliação

Descrição Tipo Tempo (horas) Data de Conclusão
Aulas da unidade curricular (estimativa) Aulas 39
Quiz #1: storage Questionário 0 17/03/2014
Proposta de projeto (D1) Trabalho 30 24/03/2014
Quiz #2: XQuery Questionário 0 31/03/2014
Quiz #3: XSLT Questionário 0 28/04/2014
Arquitetura e protótipo (D2) Trabalho 33 12/05/2014
Quiz #4: RDF Questionário 0 02/06/2014
Aplicação baseada em XML (D3) Trabalho 60 09/06/2014
Total 162

Componentes de ocupação

Elaboração de projeto 126
Frequência das aulas 36

Obtenção de frequência

n/a

Fórmula de cálculo da classificação final

A nota final será calculada usando a fórmula: NOTA = 70% Trabalho + 30% Questionários, sendo: Trabalho = 20% D1 + 30% D2 + 50% D3.

O trabalho prático será avaliado através da documentação apresentada até às respetivas datas-limite, da participação nas apresentações e da aplicação desenvolvida.

Os conceitos teóricos são avaliados através da resposta individual a 4 questionários de 20 minutos a realizar durante a aula.

A aprovação na unidade curricular está condicionada à obtenção de 40% em cada uma das entregas e apresentações da avaliação prática (D1 a D3) e de 40% na média dos questionários relacionados com a matéria teórica (Quiz #1 a Quiz #4).

Esta unidade curricular, dada a sua natureza, não é passível de avaliação em momento único, pelo que não poderá ser substituída por exame de recurso.

Provas e trabalhos especiais

Não há provas nem trabalhos especiais.

Avaliação especial (TE, DA, ...)

Os trabalhos práticos, realizados durante o semestre de funcionamento da unidade curricular, são exigidos a todos os estudantes, independentemente do regime de inscrição e da eventual dispensa de frequência. Os estudantes que não frequentam regularmente fazem as entregas dos trabalhos e apresentações nas épocas previstas.

Melhoria de classificação final/distribuída

A nota final pode ser melhorada apenas através da frequência de numa nova edição da unidade curricular.


JCL, MCR

teach/lapd/201314/ficha.txt · Last modified: 01/09/2014 15:20 (external edit)