A camada IP

A camada TCP envia o datagrama anterior para a camada IP, o conteudo do datagrama TCP assim como o seu header não interessam à camada IP. A tarefa da camada IP é simplesmente encontrar um caminho que faça o datagrama chegar ao extremo da ligação. Para que os sistemas intermédios da rede retransmitam o datagrama, é adicionado um cabeçalho na camada IP, que consiste principalmente num endereço IP da fonte e destino do datagrama. O endereço IP é um numero de 32 bits escrito com 4 numeros de 0 a 255 separados por um ponto, por exemplo 172.186.4.194 é o endereço IP da FEUP.

O cabeçalho leva também um numero que corresponde ao tipo de protocolo utilizado, assim como um novo checksum. O numero do protocolo diz ao IP que o datagrama foi enviado pela camada TCP, embora a maior parte do tráfego IP seja datagramas enviados pela camada TCP, existem outros protocolos que podem requerer serviços ao IP. O checksum serve para o destinatário da mensagem verificar que não existiram erros durante o transporte, sendo de referir que o TCP e o IP têm checksums separados por razões de eficiência e segurança. O datagrama que saiu da camada TCP, terá agora o seguinte formato ao sair da camada IP, onde CI significa cabeçalho IP:

 

 

O cabeçalho tem a estrutura especificado a seguir:

 

 

O cabeçalho contém alguns campos que não foram abordados. Os campos Flags e Fragment Offset são usados para seguir o rasto da mensagem quando o datagrama tem de ser dividido, o que pode acontecer quando são transmitidos por uma rede para a qual são grandes demais (este pormenor será abordado mais abaixo). O campo time to live é um numero que é decrementado sempre que um datagrama passa por um sistema, assim que chega a 0 o datagrama é descartado, para evitar que o datagrama entre em loop numa parte qualquer da rede, isto não deveria acontecer em redes bem desenhadas...

Neste ponto é possivel que não sejam necessários mais cabeçalhos. Caso o computador de onde enviamos o datagrama esteja ligado através de uma linha telefónica ou de um gateway pode simplesmente colocar os datagramas na linha. Embora neste caso um outro protocolo sincrono seria usado o HDLC o que acrescentaria mais uns octetos no principio e fim do datagrama.

 

 

<<< tema anterior                       próximo tema >>>