PROGRAMA DE INVESTIGAÇÃO

ACÚSTICA DE IGREJAS

FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

Sť-Porto

OBJECTIVOS
IDENTIFICAÇÃO E JUSTIFICAÇÃO

As igrejas representam um tipo muito particular de edifício com requisitos arquitectónicos e acústicos específicos e com importantes variações e adaptações ao seu uso com o passar dos anos e da História.  A Acústica das Igrejas e em particular das portuguesas com todas as suas características regionais importantes, nunca foi estudada em profundidade.  Existe pois uma premente e actual necessidade de estudar e averiguar o que constitui o ambiente acústico de uma igreja e obter uma melhor compreensão das características acústicas destes edifícios e da sua evolução pela mudança de estilos e vontades.

A análise da acústica das igrejas pode ser dividida em duas diferentes áreas:

Este programa investiga as relações entre as características arquitectónicas e a resposta acústica do edifício.  A assunção básica, suportada por trabalhos prévios nesta área de investigação, é que a a resposta acústica do edifício varia intra- e inter-igrejas.  Além disso, há diferenças apreciáveis na maneira em como as salas respondem aos impulsos acústicos emitidos de diversas posições no interior de uma igreja assim como diferenças nos valores médios dos parâmetros acústicos de igreja para igreja.

De acordo com estas premissas, o objectivo genérico deste projecto de investigação é o de identificar as principais características acústicas e suas variações presentes nas igrejas portuguesas.

Este trabalho foi iniciado em 1992 e tem tido o apoio de:

Durante quase três anos decorreu a primeira fase deste projecto que culminou com a publicação da Tese de Doutoramento do coordenador deste projecto além de várias outras publicações diversas.  A partir de 1994, o projecto tem continuado com a execução de teses de mestrado.

O objectivo deste projecto é pois o de identificar as principais características acústicas e suas variações presentes nas igrejas e desenvolver um entendimento de como as características arquitectónicas intervêm na criação de um espaço acústico particular.  Trata-se de investigar as relações de estilos arquitectónicos, dimensões e materiais em igrejas com detalhadas medidas e parâmetros acústicos objectivos e subjectivos de análise desse espaço.   Um outro dos objectivos é o de calcular fórmulas e equações para prever parâmetros acústicos através de medidas arquitectónicas básicas.

Muitos factores actuam simultaneamente para criar uma envolvente acústica específica em igrejas.  Por isso, este programa analisa diversos aspectos do mesmo problema e suas contribuições para o desempenho acústico de igrejas.  Para obter este objectivo, são feitas diversas análises em áreas concorrentes da acústica de igrejas.

Esta investigação segue os últimos desenvolvimentos em relação à acústica em salas de concerto e adapta processos e algoritmos às características particulares da acústica de igrejas.

Actualmente continua este Programa a aumentar a base de dados disponíveis pelo acréscimo do número de igrejas testadas e em especial com aprofundamentos e desenvolvimentos de novas áreas identificadas nas fases anteriores deste programa de investigação.

Uma das inovações significativas desse projecto foi a identificação de um novo parâmetro de relacionamento de características físicas e objectivas bi-aurais do campo sonoro em igrejas com respostas subjectivas dos auditores em relação às características do som musical nesses ambientes.  Esse novo parâmetro foi denominado BACH (Binaural Acoustical CoHerence).  Torna-se necessário desenvolver este parâmetro e validá-lo com novas medidas.

Nos últimos meses (1998) continuou-se a empreender um vasto plano de ensaios em igrejas, com auditores, por preenchimento de questionários que identifiquem a resposta subjectiva concreta de uma congregação ao som dessa igreja (música, durante campanha de ensaios de 1996 e palavra durante a campanha de 1998).  Deseja-se analisar a evolução desse som com os estilos arquitectónicos e que influência têm os materiais e as formas das igrejas nessa percepção subjectiva.  Este grupo de auditores da Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Instituto Politécnico do Porto deslocou-se a todas as igrejas em estudo e, colocados em posições pre-determinadas nas igrejas, ouviu e julgou subjectivamente o som ouvido, emitido em condições idênticas em cada igreja através de instrumentos musicais e de palavra emitida ao vivo.

Outro desenvolvimento importante empreendido tratou de analisar a evolução da acústica interior das igrejas ao longo dos séculos e em particular com a variação dos seus estilos arquitectónicos.  Como se de Acústica Arqueológica se tratasse, desejou-se averiguar como a evolução histórica da construção de igrejas nos últimos 14 séculos em Portugal influiu na alteração das suas características acústicas.   Pretende-se, no futuro,  fazer aqui a ligação com a evolução dos estilos musicais em uso nessas épocas, desde o cântico gregoriano à música contemporânea passando pelo barroco, classicismo e romantismo.  Tudo isto será conseguido pela identificação de parâmetros acústicos representativos (objectivos e subjectivos) e através de análise estatística (análises de variância e outras).

Um dos grandes resultados deste Programa de Investigação será então a caracterização concreta da acústica das igrejas portuguesas divididas por grandes estilos arquitectónicos.  Será pois como que definida ou identificada a acústica típica e representativa da Igreja Românica portuguesa, da Igreja Gótica, da Igreja Manuelina, da Igreja Barroca, da Igreja Neoclássica, entre outras.  Para cada um destes grupos arquitectónicos, fórmulas de previsão serão obtidas e validadas através de um elevado número de igrejas a testar (algumas dezenas).

Finalmente, pretende-se ainda criar e publicar uma espécie de guião acústico das igrejas portuguesas com dados referentes ao seu desempenho acústico para diversas funções desde a palavra até diversos tipo de música e seu enquadramento numa perspectiva histórica.  Numa altura em que as igrejas são cada vez mais utilizadas como salas de concerto alternativas, um texto deste teor mostra-se de grande utilidade.


Regressar

WebSite: APOC
Última actualização 20.11.1999