Escola Granja Viana, Estado de São Paulo

Engenharia Metalúrgica e de Materiais

Obviamente, diferencias existem: como o sotaque, ou como a matéria que é dada nas aulas (de uma forma um tanto mais dinâmica do que no Brasil), mas a convivência se dá da mesma forma: jovens e adultos esforçando-se para alcançar um futuro pelo qual tenham orgulho.

Escola Granja Viana, Estado de São Paulo

Engenharia Metalúrgica e de Materiais

 
À primeira vista há que se pensar que estudar em Portugal é algo que beira à loucura, logo que há um oceano de distância entre a pátria amada brasileira e sua nação mãe: Portugal; porém quando tal feito de se atravessar o Atlântico é realizado, é facil perceber que distância no século XXI não passa apenas de um conceito facilmente contornável.

Quando ultrapassas o maior dos percursos, sendo este, literalmente, chegar ao Porto, o resto dos desafios acaba por não diferir tanto em relação ao que se poderia esperar de uma vida acadêmica em São Paulo. Obviamente, diferencias existem: como o sotaque, ou como a matéria que é dada nas aulas (de uma forma um tanto mais dinâmica do que no Brasil), mas a convivência se dá da mesma forma: jovens e adultos esforçando-se para alcançar um futuro pelo qual tenham orgulho.

Durante a primeira semana, a sensação pode ser de estar em um mundo totalmente diferente, onde ninguém o entende e você não entende ninguém. Contudo, é apenas a diferença de sotaque que prega uma peça em nossos cérebros, pois portugueses são como brasileiros. E, em dado momento, você acaba por ver-se cheio de colegas e pessoas com quem pode conversar sempre. O ambiente acadêmico da FEUP facilita bastante essa interação.

Por fim, quando se trata de países que falam a língua portuguesa, Fernando Pessoa tem uma afirmação que descreve a todos nós: “Minha nação é minha língua”.

Ver mais depoimentos